Aprenda a como adestrar um gato – adestrando gatos sem se estressar

Como acalmar um gato! A grande pergunta!!

Ainda existem os que pensam que os gatos não podem ser treinados e adestrados.

É certo que, por possuir uma natureza menos sociável que os cães, os gatos demoram mais tempo para serem treinados, porém isso não significa que tenham menos capacidade de aprender.

A maioria dos gatos pode aprender a se comportarem com bastante facilidade.

O segredo para treinar gatos é encontrar maneiras de motivá-los. Quer saber como adestrar gatos? Então continue lendo!

Os gatos podem ser treinados e educados

Ao contrário dos cães, os gatos normalmente se comportam de forma independente e territorial, mas também são capazes de viver em grupos sociais e de desfrutar da companhia do seu dono.

A necessidade de interação social influencia a capacidade de um animal de ser treinado.

Quanto maior a interação, mais motivação o animal estará para o treinamento.

Porém, a “treinabilidade” não está relacionada com a capacidade de aprendizagem.

Em outras palavras, os gatos são tão capazes de aprender quanto os cachorros, mas não sentem nenhum prazer nisso.

Os gatos geralmente não gostam muito de servir ao seu dono.

Então, qual seria a melhor forma de adestrar um gato?

Como adestrar um gato

Como adestrar um gato

O segredo para adestrar um gato é sempre usar o reforço positivo como base para a educação e formação.

Os gatos são bastante sensíveis à punição, e as broncas não trazem resultados positivos.

Por outro lado, grande parte da chave do sucesso no treinamento de um gato está em saber motivar e educar de forma positiva.

Esse treinamento deve começar o mais cedo possível, desde que são pequenos.

Adestrando gatos com prêmios

A melhor forma de educar um gato é pelo reforço positivo, dando premiações toda vez que faz algo correto.

A lógica é clara: quando um comportamento tem consequências positivas para o gato, o animal tende a repeti-lo.

Isso quer dizer que, se recompensamos o gato a cada vez que ele fizer algo que queremos que ele faça, o animalzinho vai entender que esse é o caminho certo e repetirá o novo comportamento.

Os prêmios podem ser:

  • A comida favorita,
  • Carinhos,
  • Palavras carinhosas ou

Escolha o que você quer e premie o seu gatinho!

As complicações em adestrar com punições:

Sempre que possível, escolha premiar o seu gato quando ele faz o que é certo, em vez de puni-lo pelo que ele faz de errado.

Normalmente, aplicar a punição adequada, com o imediatismo, a brevidade e a intensidade moderada é muito difícil.

Os perigos de aplicar uma punição de forma errada podem ser os seguintes:

  1. Fuga e não cooperação: a punição promove comportamento de fuga, mas nunca de cooperação.
  2. Medo e agressividade: muitos gatos reagem agressivamente contra um castigo porque se sentem ameaçados. Sendo isso muito arriscado, tanto para o gato quanto para o seu dono.
  3. Deterioração do relacionamento: existe o risco de que o vínculo entre o dono e o gato seja afetado de forma negativa.
  4. A punição gera um ódio à situação, o que impede o relaxamento do animal e aumenta a dificuldade de aprender o que é correto.

Treinar um gato exige: tempo, paciência e muito amor!

A receita básica para conseguir realmente adestrar um gato é a paciência, somada à dedicação de tempo e muito amor e carinho!

Os gatos são animais bastante inteligentes e possuem grande capacidade de aprender.

Porém, é preciso dedicar bastante tempo e atenção ao seu animalzinho para que ele entenda e se acostume com a vontade do dono.

O segredo é não tentar ir muito rápido nem exigir demais do gatinho.

O segredo, portanto, é muita paciência e amor.

Vamos adestrar o seu gatinho? Quer conhecer mais sobre técnicas estruturadas e bem elaboradas de como adestrar um gato? Então leia mais nesse artigo: Como adestrar um gato

Navegue pelo nosso site e descubra a infinidade de cursos online que temos para você!! – Cursos Online


1 comentário

Treinando e amansando gatinhos! - Blog de Respeito · fevereiro 15, 2018 às 12:12 pm

[…] como adestrar um gato […]

Deixe uma resposta